Atividades da
                           Fábrica de Cultura

14.jpeg

MARACATU

DSC_7833.jpg

ÁUDIO

106988756_2599671630249878_1889607137044824554_n.jpg

MÚSICA

FOTO 06.jpg

FOTOGRAFIA

DSC_8752.jpg

DANÇA

DSC_4368.jpg

FORMAÇÃO

DSC_0006.jpg

AUDIOVISUAL

07.jpeg

PEDAGÓGICO

107228581_2599671803583194_4649126128836592996_n.jpg

EVENTOS CULTURAIS

Com o avanço da tecnologia, o domínio de técnicas ligadas ao audiovisual, é cada vez mais importante. Pensando nisso, a Fábrica de Cultura, realiza todos os dias de segunda a sexta-feira, aulas teóricas práticas de gravação e edição de vídeos, para adolescentes e jovens que vivem em situação de extrema vulnerabilidade social e pessoal.

Também é oferecido aulas de Maracatu. O batuque veio com os negros d’África, quando chegaram em Pernambuco como escravizados, mas no GAMR e na Fábrica de Cultura, o som ganhou o tom de liberdade, e as alfaias começaram a ser ouvidas por toda a cidade de Gravatá. No inicio, o Maracatu era só uma forma sadia de passar o tempo, mas aos poucos os meninos e meninas começaram a sentir gosto e os convites foram aparecendo para animar as festas locais. Hoje, o “Maracatu da Fábrica”,  já é a maior referência de batuque na cidade de Gravatá.


Os ensaios restritos as crianças e adolescentes, acontecem segundas e terças-feiras das 8h30 as 10h. Os ensaios abertos, acontecem todos os domingos às 10h no Salão Cultural Dinho. As aulas são ministradas pelo Mestre Maciel Ferreira.

As oficinas de áudio é um diferencial na Fábrica de Cultura. Gravar música, já não é mais privilégio de grandes corporações. O desafio agora é empoderar os jovens para gravarem o som que vem da periferia; o som que vem deles e pra eles, sem perder o compromisso com a cultura cidadã. Assim, eles vão seguindo com aulas de captação, edição, mixagem e masterização com o instrutor Axel Oliveira. As aulas acontecem de segunda a sexta-feira no Estúdio Social Harald Schoeps.

As oficinas de fotografia é uma oportunidade que desde cedo as crianças são inseridas. A fotografia já surgiu como ruptura, quebrando paradigmas, pois até então, só alguns poucos artistas que possuíam o “dom”, se atreviam a retratar paisagens e o cotidiano da época. A busca incansável para fotografar, proporcionou ao simples mortal, a possibilidade de através de um simples clique, fotografar o mundo e tudo que nele vive.  

 
Mas, com a avanço da tecnologia, a fotografia vai muito mais além de um simples clique, pois para fotografar, é preciso ter um ser humano por trás, que apertará o botão num determinado momento “único”, eternizando o instante.  E para fotografar esse “instante único” , é preciso treinar o olhar.


Treinar esse olhar, é justamente a base dos cursos de fotografia que a Fábrica de Cultura oferece, para adolescentes e jovens do bairro do Cruzeiro. As aulas são ministradas por Daniel Gomes, um jovem que cresceu e aproveitou as oportunidades que recebeu no GAMR. As aulas acontecem de segunda a sexta.

As aulas de dança buscam resgatar os ritmos nordestinos, valorizando os passos da região. A partir desta oficina as crianças desenvolvem também o corpo, a mente e o senso de valorização e autoestima. 

As aulas de música, como bateria, violação e instrumentos de precursão formam o ciclo cultural que a Fábrica tem buscado, estimulando o senso criativo das crianças.

A formação em desenvolvimento humano tem se torna uma prática recorrente na Fábrica, onde os jovens são estimulados a refletir sobre si mesmos, sobre o lugar onde moram e a realidade que desejam transformar. 

Com a missão da nossa organização sempre em mente, nos esforçamos para encontrar novas formas para lidar com esse desafio. Nesse sentido, também trabalhamos com apoio educacional no contraturno escolar, através de atividades lúdicas e pedagógicas, como contação. Educação é algo que levamos muito a sério e nossa equipe trabalha incansavelmente para causar um impacto positivo. Entre em contato para saber mais sobre o nosso compromisso com esta causa.